segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Grupo somaie sp 2013

Começaram  as  atividades do grupo de sp.

Dia 22.09 vieram três pessoas.

Dia 20.09 acontece um novo encontro no mesmo local.


20 de outubro de 2013 - domingo - 16h as 22h

Taxa de 90 Reais (duas vivências) - Caso tenha problemas com esse valor, apareça e converse

Rua Francisco Leitão, 57 Pinheiros - Sampa-SP
 
(info 11-97662-5322 ou 24-9297-4065)
 
 



quarta-feira, 18 de setembro de 2013

detalhes do FUNCIONAMENTO da Somaiê

Somaiê
pedagogia do observar

          A Somaiê nasceu como vertente da SOMA, uma terapia anarquista, criada por Roberto Freire. Ao longo de 12 anos a Somaiê passou por mudanças variadas, dentre elas a incorporação da obra do neurocientista chileno Humberto Maturana, a Biologia do Conhecer. Essa junção de teorias tem sido nosso paradigma na proposta de uma pedagogia e dinâmica de grupo com características únicas.


          Entre os dias 11 e 15 de maio realizamos no Vale do Pavão, na região turística de Visconde de Mauá – RJ um seminário de Somaiê e Te&So convocado por mim e com a participação do núcleo de Somaiê de Belo Horizonte (Camilo, Lucas e Bruno – que se afastou logo em seguida da formação). Nesse seminário definimos novas diretrizes na forma da Somaiê. Esse encontro também marca o inicío de uma nova evolução da Somaiê, de uma coisa vagabunda nasce a pedagogia do observar.

          Pelas experiências que tivemos com os últimos grupos de Somaiê: em Belo Horizonte e em São Paulo, e por outras condições que remontam um contexto mais amplo, mudanças estruturais estão sendo construídas para 2013.          O processo pedagógico e terapêutico que propomos com a Somaiê dura em torno de 18 a 24 meses, e se caracteriza por uma organização e estrutura.

Organização:

         São 4 fases diferentes: Aproximação, Aprendizado, Aprofundamento e Pedagogia para a vida (Cadeiras quentes).
         Em cada fase acontecem as atividades mensais que compõem a estrutura abaixo descrita, porém em dois meses de cada fase trocamos a estrutura por duas atividades marcadas antecipadamente com os grupos: VIVÊNCIAS EM VISCONDE DE MAUÁ e ENCONTROS DE TE&SO.

Estrutura:

- atividades com o somaterapeuta e equipe técnica: São 20 horas de atividades mensais, sendo que 12 horas são concentradas em UM FINAL DE SEMANA POR MÊS e 8 horas distribuídas semanalmente. Quando o somaterapeuta mora na mesma cidade do grupo, elas podem ser mais diluídas, conforme disponibilidade do terapeuta e consensos do grupo.
No decorrer dos 20 meses do grupo
que 9h são de VIVÊNCIAS conduzidas pelo somaterapeuta ou co-terapeuta, 2h são de dinâmica de organização em que o grupo faz uma leitura sobre suas produções autogestivas e 1h de leitura sobre a prática da capoeira mensal. As 8h restantes são de TREINOS DE CAPOEIRA ANGOLA conduzidos pela equipe técnica, tendo cada treino semanal a duração de 2 horas. Em Belo Horizonte essas 8h serão conduzidas pela equipe de formação. Em São Paulo, veremos como adequar a proposta com capoeiristas, devido a ausência de formandos da Somaiê atualmente na cidade.

- atividades entre o grupo: Nessas atividades não há a presença do somaterapeuta e co-terapeuta. São duas atividades, GRUPÃO e CAPOEIRÃO, sendo que os grupões começam a partir da 2ª fase e os capoeirões na 3ª fase. Os GRUPÕES são reuniões mensais (dependendo do momento do grupo podem ocorrer com maior periodicidade) para os membros vivenciarem suas relações sem a liderança dos terapeutas e com organização a ser criada autogestionariamente. O CAPOEIRÃO é uma atividade voltada para treinos de capoeira angola.


AS QUATRO FASES DA SOMAIÊ

-  Aproximação: é a fase INDIVIDUAL da Somaiê, ou seja, começa a acontecer a medida que interessados na técnica começam a vivenciar as propostas da terapia, porém as atividades estruturais ainda não tem uma forma definida. Tanto a quantidade de Vivências, como o pagamento seguem definições do terapeuta adequando as potencialidades da técnica conforme a quantidade de participantes. Esta fase tem uma duração variada, depende dos participantes desejarem assumir as atividades coletivamente, isso é verificado pelo terapeuta – sempre buscando o consenso com os participantes. Ao final dessa FASE acontece a primeira VIVÊNCIA EM VISCONDE DE MAUÁ, e antes disso um Encontro de Te&So.

- Aprendizado, nesta fase o grupo começa a experimentar a autogestão na estrutura, porém continua aberto a entrada de novos membros. Começam as atividades do GRUPÃO. Esta fase pode durar entre 2 e 4 meses. A passagem desta fase para a próxima dependerá totalmente do amadurecimento da dinâmica, ou seja, do aprendizado básico da autogestão, que pode ser exemplificado no pagamento coletivo e no cumprimento de horários. Quando o grupo se fecha a pessoas novas, acontece a 2ª Vivência de Visconde de Mauá.

- Aprofundamento: Nessa fase só participam pessoas que participaram ao menos 2 meses da fase anterior (ou seja, a 2ª Vivência em Visconde de Mauá e mais um mês). Começam as atividades de CAPOEIRÃO. Esta fase é a mais longa do processo da pedagogia do observar, variando a duração entre 8 e 12 meses. As vivências aprofundam o processo de diagnóstico de problemas e servem de um laboratório para os participantes vivenciarem outras formas de perceber a realidade. É muito comum acontecerem crises individuais e da autogestão coletiva e somente com esse amadurecimento se pode alcançar a próxima etapa. Nessa fase a viagem a Visconde de Mauá pode acontecer em qualquer momento a ser definido pelo grupo junto ao terapeuta.

- Pedagogia para a vida (Cadeiras quentes): Depois de mais ou menos 15 meses de convívio, envolvimento, trocas e percepções diversas com sinceridade vivencial, potencializado com três Vivências de Campo e atividades variadas acontecidas nos Encontros de Te&So, é momento do grupo voltar-se para cada membro individualmente. A Cadeira quente é um processo inspirado nas hot seats da Gestalterapia e na própria cadeira quente da Soma, em que todo o grupo fica em foco a cada vivência, ou seja, cada membro do grupo terá seu momento de cadeirado, inclusive o somaterapeuta, co-terapeuta e assistentes. Esse é o momento de radicalizar na percepção do multiverso criado pela soma dos universos de cada participante. Enquanto nas fases anteriores o conteúdo político era vivenciado no cotidiano da Somaiê, na Cadeira quente o caminho da objetividade-entre-parênteses é levado a prática final. Após todos os membros do grupo passarem pela cadeira, somaterapeuta e equipe técnica, é momento de finalizar o processo terapêutico com a quarta e última Vivência de Campo e depois, o último Encontro de Te&So.


SOBRE OS
ENCONTROS DE TE&SO

         Esses encontros nasceram em 2005 como a primeira das modificações estruturais da técnica. Foram uma evolução do Curso de Pedagogia Libertária criado nas Casas da Soma de SP e RJ, da década de 1990 a 2000. Servem de uma ponte entre a dinâmica dos grupos com a sociedade em geral. Servem de um aprofundar no aprendizado libertário com profissionais de áreas diversas. E voltam nessa nova fase da Somaiê, pedagogia do observar com uma função de melhor aproveitar a Biologia do Conhecer e suas nuances Entre 2010 e 2012 ficaram em segundo plano e fizeram falta nos últimos grupos. Principalmente a relação com o Jornal Tesão mostrou as fraquezas do viver autogestivo dos grupos, pois faz parte dos Encontros do Te&So aproveitar a voz impressa desse jornal (criado em 1994 e renumerado em 2002) como uma explicitação política e um brincar de produção editorial.

Rui Takeguma, setembro de 2013, modificando texto de maio/2013 de Lucas Salazar.

video de 26.set.2013 - http://teoriaesomaie.blogspot.com.br/2013/09/tv-soma-2-mudancas-para-somaie-de-2013.html

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A PRIMAVERA da SOMAIÊ e Te&So (manifesto de 2013)

A PRIMAVERA da  SOMAIÊ e Te&So
            22 de Setembro recomeçamos a Somaiê em São Paulo e Belo Horizonte. Ano de fermentação, parece que os dois últimos grupos da SOMAIÊ, um em Beagá e outro em Sampa, coincidiram em não terminar o processo da terapia. Pois propomos que os grupos passem por quatro estágios, Beagá em 2012 não terminou o 4º estágio (Fase D), e o grupo de Sampa não chegou a este 4º estágio. Crises propícias à renovação, e como uma Fênix, ressurgida das cinzas, nossa equipe de terapeutas refaz a técnica e proposta. Mudamos o subtítulo de UMA COISA VAGABUNDA, para PEDAGOGIA DO OBSERVAR. Isso foi em maio de 2013.
            Mas algo faltava, dos atuais 3 somaterapeutas (em maio éramos quatro) num consenso silencioso esperamos a chegada da PRIMAVERA pra reiniciar a técnica no Brasil. Coincidências a parte, o CONTEXTO falou mais alto. O Brasil precisava ACORDAR. Usando essa simbologia recente para as manifestações de JUNHO de 2013, em que FINALMENTE A INDIGNAÇÃO POPULAR CHEGA AS RUAS. Claramente com a força do movimento anarquista e alternativo, e com a bola inicial do Movimento Passe Livre de São Paulo. Sem dúvida com a força libertária da comunicação via internet. Mas principalmente uma indignação de todas as esferas: PRECISAMOS MUDAR.
            Assim como Roberto Freire adaptou a força histórica da ciência reichiana com a força política permanente do anarquismo e gerou o ANARQUISMO SOMÁTICO na década de 90 (do século/milênio passado); não podemos ficar parados no tempo e, 30 anos depois, ficar ainda fazendo SOMA, UMA TERAPIA ANARQUISTA. Tem mercado? Tem eficiência? Tem utilidade? Claro que sim... Não só porque meu ex-companheiro João da Mata continua a fazer essa papel histórico, como ainda hoje existem pessoas fazendo o que Reich foi experimentando em seu viver e MUDANDO (vegetoterapia, orgonoterapia, e depois, por seus discípulos bioenergética e etcs). Mas meu caminho se espelha ao do Freire, que morreu dizendo que era que nem bicicleta, que se parar, cai. Ou seja, é no movimento e mudança que tiramos a força pra continuar a mudar a técnica e adapta-la ao fluir da PONTA DA HISTÓRIA.
            Esse ano, a SOMAIÊ e Te&So conseguiram, pela primeira vez na nossa história, adquirir uma SEDE PRÓPRIA. Mas não podia ser uma sede comum, tinha de ser um espaço pra propiciar o CRESCIMENTO DE NOSSAS PESQUISAS, multiplicando nosso leque de áreas e FECHANDO O CICLO na pesquisa das 3 ecologias.
            Desde a década de 90, usávamos as referências das 3 Ecologias do filósofo francês Gatarri pra explicar nossa área de atuação. A SOMA ou SOMATERAPIA de Freire era explicitamente uma pesquisa em ECOLOGIA SUBJETIVA ou MENTAL. Com a pesquisa do Curso de Pedagogia Libertária iniciado no TESÃO, a Casa da Soma de São Paulo (1993-2000) a SOMA entrou na ECOLOGIA SOCIAL. (*). Mas nesse Fluir, foi com o Te&So em 2004 que realmente faço a SOMA/SOMAIÊ entrar radicalmente neste segundo nível da ecologia.
            Esse ano, com o SOLARIUM e PAPPavão (Preservação de Água Pura do Pavão) que entramos definitivamente na ECOLOGIA AMBIENTAL. Ou seja, se agrega a esse ano a novidade das pesquisas que geram a sobrevivência e manutenção do humano/espécie: a alimentação, a bioconstrução e permacultura. Assim, falar em TERAPIA já era pouco pra nossa pesquisa, na década de 90, precisávamos enveredar pra PEDAGOGIA.  Mas essa prisão reducionsita dos rótulos me fez chamar por bons anos nosso trabalho como COISA VAGABUNDA, uma radicalidade na beira do anti-marketing.
            Enfim, nossa Primavera da SOMAIÊ é assumir a importância das neurociências a questionar e reafirmar a poesia como definitivo pra romper com a ORIGINALIDADE ÚNICA do Freire e da SOMA e radicalizar ainda mais na pesquisa das POTENCIALIDADES MÚLTIPLAS advindas do choque que criei ao misturar Roberto Freire com Humberto Maturana (da Biologia do Conhecer). Mas agora TEMOS TERRA, FLORESTA e NASCENTE, ou seja, água limpa. Que potencializará nossa BASE DA CAPOEIRA ANGOLA, com AS ASAS DA AYAHUASCA. Ou voltando a terminologias mais clássicas, FINALMENTE CRIAMOS RAÍZES PRA PODER VOAR (pedagogia libertária).
            Enfim, esse MANIFESTO de SETEMBRO de 2013, tem uma NOVA FORMA PRA POTENCIALIZAR NOSSO ATUAL CONTEXTO. NASCE esse mês o TV SOMA (uma evolução das pesquisas em Conversa-Ações) (**).
            Mas este final do Manifesto tem que acontecer na inauguração do TV.SOMA:

Rui Takeguma, 09.09.2013, Vale do Pavão – Visconde de Mauá  (vídeo 0 gravado em 13.09.13 e vídeo 1 gravado em 15.09.13)
(*) Nosso Coletivo Anarquista Brancaleone, do qual fui fundador, já estava atuando nesse ambiente, porém era voltado pra equipe de terapeutas e não para os clientes, participantes dos grupos. No frutífero Curso que gerou mais um dos livros de Freire e agregou centenas de pessoas por quase uma década de pesquisas, com renomados palestrantes, foi também meu “bode expiatório” pra me separar do Freire, pois não aceitei seu recuo na pesquisa e investimento dos outros terapeutas no meio acadêmico, desistindo da radicalidade e independência (insegurança) da Pedagogia não acadêmica e não institucionalizada. Assim, me afasto do Brancaleone em 2000 e do Freire em 2002.

(**) Devido às minhas críticas ao grande projeto da ESTRADA-PARQUE DE CAPELINHA-VISCONDE DE MAUÁ, fui ameaçado de morte por documentar em BLOGs e no JORNAL TESÃO as contradições entre o projeto e o que foi construído (na primeira fase da RJ-163, este ano estão ainda completando o trecho da RJ-151). Quase fui linchado numa manifestação popular de poucas pessoas (60 pessoas, grande parte manipulada por falsas informações de associações trambiqueiras que fazem a Governança local), e vieram CALÚNIAS e DIFAMAÇÕES anônimas em cartazes distribuídos em toda a região. Enfim, isso gerou o TV MAROMBA (vejam detalhes nesse DVD que criei pra documentar em vídeo as falcatruas dessa farsa e que distribuí mais de 100 unidades, pras pessoas assistirem na TV em casa =  TV MAROMBA#0) e que após um ano, modifico em TV.Mauá e TV.SOMA.
 
-------------------------------------------------------------------------------


Evento em São Paulo: 

22 de setembro de 2013 - domingo - 16h as 22h

Taxa de 90 Reais (duas vivências) - Caso tenha problemas com esse valor, apareça e converse

Rua Francisco Leitão, 57 Pinheiros - Sampa-SP



Evento em Belo Horizonte: 

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Somaiê em Sampa


VAI ACONTECER NA VILA MADALENA, perto da Av. Henrique Shauman com Av. Rebouças, na rua Francisco Leitão.  EM BREVE MAIS DETALHES DE VALORES.

2013 é um ano de novas mudanças da técnica que Rui Takeguma evolui das pesquisas da Somaterapia. Aguardem...